quinta-feira, 8 de maio de 2008

WORK & TRAVEL E AU PAIR, VALE O RISCO ?

Vocês devem ter notado a ausência de informações sobre Programas do tipo "Work & Travel", e "Au Pair".
É que sou absolutamente contra este tipo de programação, embora agências conceituadas as ofereçam.

Eu sei que este é um post polêmico, e que os nossos jovens filhos vão tentar convencer de todas as formas que é uma boa sair do país para ser babá ou fritar hamburguer em alguma cidadezinha americana.

Não que eu tenha algum preconceito contra estas profissões, mas apenas acho que este tipo de experiência não leva a lugar nenhum, a não ser que o objetivo seja mesmo seguir estas carreiras.
O que realmente conta nessas viagens de intercâmbio, é o aprendizado formal do inglês, é isso que vai ser exigido pelo mercado de trabalho.

As outras experiências não acrescentam nada neste particular.
Se o seu objetivo é fazer do seu filho um jovem mais qualificado, dando a ele a oportunidade de desenvolver o aperfeiçoamento de um idioma, o ideal são os cursos.

Este outro tipo de programa nada mas é que servir de mão de obra barata para empresas estrangeiras e uma forma econômica de turismo.

Neste tipo de sonho muito jovens já embarcaram em péssimas experiências, relatadas na Revista Isto é há algum tempo, e pela Revista Capricho de março.

Escolha sempre com muito critério a quem você vai entregar seu filho, e como eu sempre digo, tenha o contrôle.

Se você não concorda, use a caixa de comentários para expor sua opinião.

14 comentários:

Anônimo disse...

Marcia, adoro seu blog!
Mas nao concordo com seu ultimo post... tenho varios amigos da faculdade que fizeram o work and travel e dizem q é uma experiencia unica! até pra quem nao tem tanta grana pra investir em um curso de ingles né. o work alem de ajudar a aperfeiçoar o ingles ajuda tbm no crescimento pessoal da pessoa! qualqeur um, como eu, que nunca viveu fora da casa dos pais e passa 3 meses em um lugar com uma cultura diferente volta pra cá com uma nova visão de mundo! amadurece muito!

continue com os posts Marcia, to adorando o que eu leio aqu!
Abraço

Camila Bastos

Anônimo disse...

o blog e bom. mais nem todo os pais tem dinheiro para ta pagando o intercambio para seus filhos não quero julgar se você paga o seu filho mais nem todos tem essa oportuinida otimo blog continue assim abraço

Anônimo disse...

Parabens pelo Blog
Se vc puder postar algo sobre High School, seria otimo

Continue assim ue está demais o blog.

Anônimo disse...

O blog ta otemooo

parabeins

E sobre o assunto, concordo em partes, eu ainda to loge de poder fazer um dos dois (eu vo fazer high school ainda)e axo, que se ta faltando dinheiro, ou emprego... deve ir, pq não? Lá tem ótimas oportunidades...
Mas se a pessoa qr aprender inglês, fazendo curso deve aprender bem mais... não precisa saber ingles pra fritar hamburguer(vai bate um papinho com o hamburguer?) ou cuidar d criança que ainda ta falando as primeiras palavras...

Anna disse...

poxa, acho que não tem nenhum programa de intercâmbio melhor que o High School e muitos intercambistas com certeza concordariam comigo nesse ponto, mas acredito que todos eles são sim interessantes para crescimento pessoal e profissional inclusive.
O programa de Work&Travel e o AuPair causam muita polêmica pois há histórias de que não dão certo até mesmo nas melhores agências. Mas estes podem sim ser proveitosos para você para adquirir fluência em determinado idioma pois acredito que se uma pessoa como eu que tem um nível de inglês quase fluente, para que atinja esse nível fluente falta apenas alguns meses fora, 2 ou 3. Acredito que essas opções são válidas para pessoas assim, já que às vezes qualquer curso fora pode parecer simplório, já que o que a pessoa pode estar precisando é fluência na fala. :)

Marcia, eu recomendo que você adicione nos links de agências também o link de ongs que fazem os intercâmbios mais interessantes, acredito eu. Estas ongs sem fins lucrativos que fazem o intercâmbio como intuito de união global, que fazem o intercâmbio na sua essência! São elas: Rotary, AFS e YFU.
beijo, anna

MARCIA CASARES disse...

Camila,amadurecer não pode ser o único objetivo de um intercâmbio.
O intercâmbio tem que proporcionar ao jovem um desenvolvimento no idioma, e uma imersão na cultura local.
Você não tem condições de aprimorar o seu idioma sem estar num curso, aprendendo da forma correta.
Lembre-se que analfabetos sabem falar, mas não escrevem nem lêem.
O mercado de trabalho vai exigir que você saiba com profundidade.
Bem, não sou a dona da verdade .
Esta é a minha opinião.
Bjus e obrigada pelos elogios.
Adorei!!!

MARCIA CASARES disse...

Anna,
Se a pessoa tem um inglês no nível que vc está falando, pra que se arriscar a fazer um Work & Travel? Uma viagem de turismo num grupo internacional resolveria o problema.
Tem uma agência chamada Contiki, que faz viagens sensacionais, e quando vc fôr para a Alemanha pode contratar e fazer umas viagenzinhas pela área, com eles.
Vai adorar.
Entre no site. http://Contiki.com
bjussssssssssss

Camila disse...

Marcia,
ao fazer um intercambio a pessoa primeiramente deve estabeler um objetivo
e este pode ser sim o crescimente pessoal, pq não?
estudo inglês há 6 anos, e não pretendo parar de estudar, e vou fazer o work and travel esse ano pq além do meu cresimento pessoal, o dia-a-dia com outra cultura certamente é uma consequencia inevitável que me trara novos aprendizados, e tbm uma fluencia melhor na lingua. é claro que uma pessoa que nunca estudou inglês e vai se meter a fazer um WT não vai ter muito retorno...

abraço!

camila

MARCIA CASARES disse...

Camila,
Eu poderia dar inúmeras sugestões para crescimento pessoal sem risco, mas não é este o meu objetivo aqui.
Se vc está absolutamente convencida, não há o que argumentar...
Eu não gosto deste programa, pelo menos do que eu leio e ouço falar á respeito.
Mas, aqui é um espaço democrático, e cabem todas as opiniões.
Desejo muito sucesso a vc
bjusssssss

Sebastião Carlos disse...

Faço dela minhas palavras. As experiências que sei de amigos e pessoas que vão para fora através do "Work & Travel", pois alem de subjugados, as pessoas dormiram em qualquer lugar, como se dependesse deles para estar ali, não conseguiram fazer curso quaisquer, e fora a constante ameaça de serem deportadas. Empresas que fornecem esse tipo de serviço colocaram os mesmo para servir e fritar batatas e hambúrgueres. Ao meu ver "Work & Travel" não a nada a oferecer alem de permanecer naquele país e ser subjugado pelo serviço que você esta fazendo.
Lembro-me agora que uma amiga que foi para Itália e ao chegar foi confundida com uma garota de programa, e muitas empresas fazem desta forma. Podem haver ate empresas serias, mas a grande maioria quer é mão de obra barata para onde ninguém daquele pais quer estar trabalhando.

Márcia seu blog é maravilhoso

joana disse...

Olá,
acho que nada melhor do que alguem com a experienca de um Work & Travel pra argumentar com consistencia sobre o assunto. Eu fiz Work & Travel em 2007/ 08 e para mim, foi a melhor experiencia da minha vida, tanto para crescimento pessoal, imersao na cultura local e fluencia no meu ingles. De maneira alguma fui subjulgada ou frite hamburguers... um emprego em um programa como esse depende da sua competencia.
Eu trabalhei em uma loja de ski como Greeter e minha funcao principal era receber e conversar com os clientes.Estudo na USP e muitos colegas de sala fizeram o mesmo programa p lugares diferentes, todos voltaram com consideracoes positivas sobre o programa.Ficar 3 meses vivendo uma cultura é sempre interessante, seja numa viagem , num curso ou porque nao, trabalhando. No meu trabalho haviam brasileiros, argentinos,suecos, ingleses, peruanos e inclusives americanos.Ainda ganhavamos passes para esquiar sempre que quisessemos. Ganhei dinheiro suficiente para aproveitar meu grace period de um mes viajando pelo pais. Enfim, amei a experiencia que tive e recomendo. É so tomar o cuidado de escolher bem p onde está indo e qual agencia vai escolher.

Anônimo disse...

Outro ponto a ponderar. o Work & Travel é otimo para quem quer adquirir fluencia e nao tem dinheiro suficiente para fazer um curso ou uma viagem de longa duracao. Fora que vc tem a mobilidade de conhecer varios lugares.

Au Pair disse...

Olá!! Cai no seu blog através de outros sites. Eu já fui au pair nos EUA, embarquei há 4 anos atrás sem saber uma única frase de inglês além do "my name is...", e hoje ainda moro fora, mas na Europa. Gosto de ver blogs de futuras au pairs e de quem está começando agora, porque é uma experiencia unica, mas nao é facil nao!!!! Muita sorte para você e que tudo de bom aconteça! Se tiver qualquer dúvida com relação ao programa, ou eu puder ajudar de alguma outra forma, pode contar comigo! Abraços. Sani

Caindo no Mundo - Au Pair

Anônimo disse...

Gostaria apenas de dar uma opinião em relação a este post. Pois acho que esse tipo de programa tem sim suas utilidades. Obviamente não será a melhor das experiências, mas o meu caso por exemplo, procuro um programa de trabalho no exterior para poder me sustentar enquanto faço um estágio na universidade local. Como as únicas coisas pagam serão as despesas dentro da faculdade, eu tenho que ter alguma fonte de renda para pagar minha moradia, alimentação, etc.