quinta-feira, 31 de julho de 2008

NECESSIDADES ESPECIAIS IMPEDEM O INTERCÂMBIO?


Se o seu filho é portador de necessidades especiais (cadeirante), e tem alguma independência, é possível fazer um intercâmbio no exterior.
Consultei uma agência e uma jovem cadeirante.
Da agência, obtive as seguintes informações:

Prezada Márcia,

Obrigado pelo seu e-mail.
Respondendo sua pergunta sobre a participação de um deficiente físico (cadeirante) em cursos de idiomas no exterior, isso depende da escola que irá receber o aluno.

Como você deve saber, em países como Canadá e EUA, a estrutura para a locomoção de deficientes físicos é bem melhor que as do Brasil, onde infelizmente muitos arquitetos e engenheiros não pensam neste segmento da sociedade quando elaboram seus projetos de construção.

A minha resposta é sim. No entanto, antes de matricular um estudante com estas características, precisamos verificar se:

1) A escola tem estrutura de acesso simplificada para um deficiente físico
2) A acomodação que irá recebe-lo também dispõe desta estrutura

É necessário saber também que tipos de cuidados o deficiente físico vai precisar quando estiver no exterior. Por exemplo: Alguns precisam de auxílio para tomar banho, enquanto outros conseguem tomar banho sozinhos, dependendo do grau de deficiência e se o banheiro estiver preparado para tal.

Caso deseje qualquer outra informação para ajudar no seu blog, sinta-se a vontade para me escrever.

Atenciosamente,
Claudio Chalom
BEX - Brazilian Exchange


Esta resposta demonstra que não é muito complicado, depende de organização e esquema.
E se seu filho tem vontade, é só deixar o medo de lado e encarar este desafio!
É claro que cada caso é um caso, e as agências tem que fazer um esfôrço a mais para dar segurança para quem vai, e tranquilidade para quem fica.
Mas elas estão capacitadas para dar este apoio e são indispensáveis para a esquematização de um intercâmbio especial.
Procure uma agência conceituada, e participe junto com seu filho de todas as etapas do processo.

Nós mães temos esta missão no mundo que é criar, orientar e ajudar um filho, e incluir um jovem com necessidades especiais num programa de intercâmbio é um bem enorme e uma felicidade que vai ser inesquecível para ele e compartilhada com familia e amigos.
Vale á pena!
Coragem!!!

3 comentários:

André Nyer disse...

Boa Márcia!

=o)

André Nyer - PE

Paulinha disse...

Boa não, Ótima!!
Vai ajudar muito as mães como a minha, que acha meio impossível ver eu 'me virando' sozinha. Cadeirantes só precisam de uma forcinha a mais, mas nada fora do comum.

Tenho fé de que um dia faço um intercâmbio e vai ser um orgulho dividir minha felicidade com vcs, contando tudo.

Anônimo disse...

Parabens,Marcia por este post que certamente vai incentivar muito os cadeirantes.O blog ta bombando 9500acessos em pouquissimo tempo.

PARABENS!!!continue assim...


Dadum